Até que ponto a angústia pode levar alguém ao suícidio? Até que ponto a desesperança e um coração partido pode influenciar uma pessoa a tirar a sua própria vida? É um assunto complexo e importante. Não sei exatamente o que pode levar uma pessoa a tirar sua própria vida, mas passei pela experiencia de ter uma suicida reconhecendo seu projeto fatídico e não consegui perceber seu intento. Porque? Penso que seja despreparo espiritual de minha parte.

A moça, linda por sinal e lésbica (ou pelo menos essa é a suspeita), era visita frequente em minha Lan House, na cidade de Barra do Garças-MT. Sempre que vinha riamos de alguma brincadeira e para mim, era uma pessoa sadia, risonha e de bem com a vida. Certa vez ela chegou e pediu para mim abrir seu facebook no meu PC (Servidor) enquanto mostrava alguma fotos de conhecidos e me dizia que um dos personagens da foto seria o motivo dela praticar algo que daria o que falar. Segundo ela: "Eu ouviria falar dela em poucos dias, pois ela faria uma loucura que daria o que falar na cidade". Na hora brinquei com ela: "Só espero que não seja loucura de amor". Ela riu muito e depois de conversar mais um pouco, foi embora. Pouco tempo depois ela cometeu suicídio. A pergunta que sempre me faço é: como alguém que sempre está sorrindo e aparentando estar de bem com a vida pode fazer algo tão drástico? Bem, dizia sempre minha avó: "Quem vê cara, não vê coração". E é o coração a maior fonte de problemas da humanidade. É o coração a fonte das paixões que levam à morte de parceiros. E é o coração que leva a pessoa a tirar sua vida.

Muitos que conhecemos pelo sorriso fácil esconde por trás deste sorriso lágrimas contidas a custo. Muitos homens sabem que o mundo não tem piedade, e suas cicatrizes na alma provam isso. Muitas mulheres idem. Mas eles continuam sorrindo sempre, apesar das feridas. Outras, apesar do sorriso, escondem atrás de uma falsa alegria a desesperança que leva ao abismo da morte. Como evitar isso? Deus pode evitá-lo. A pergunta é: nós queremos Deus? Evidente que não.

Se quiséssemos Deus não seríamos uma nação de assassinos, onde mais se mata no mundo por motivos fúteis. Se quiséssemos Deus não seríamos uma nação de estupradores, assassinos e pedófilos. Deus, nesta nação chamada Brasil, é a ultima coisa que queremos. Queremos mesmo é carnaval e futebol. Deus não entra na equação de nossas vidas.

Mas, se Deus entrasse em nossas vidas, certamente haveria mudança. Se Deus de fato vivesse entre nós, os índices de violencia cairiam, o consumo de drogas diminuiria. As pessoas teriam mais esperança. E o suicídio não seria uma opção.

Meu país precisa de uma intervenção divina. Minha cidade, Barra do Garças também. Por isso eu oro: "Deus, eu preciso de ti. Eu preciso de uma mudança. Meu país precisa de ti, Senhor. Há morte e violencia em cada esquina, Há homens e mulheres sem esperança em cada cidade, em cada bairro. Intervenha, meu Deus, em minha cidade, e traga paz ao aflito e esperança ao desesperançado.

Deus, manifesta tua graça na vida de todas as lésbicas e prostitutas de minha cidade. Derrame de teu espírito libertador sobre todas elas. Manifesta tua graça na vida de cada habitante desta cidade e de cidades vizinhas, Aragarças e Pontal.

Meu Deus, intervenha em minha nação, Brasil, e mude este quadro de trevas em que vivemos, Senhor. Traga luz para esta nação e retira este povo das trevas da ignorancia, idolatria e violencia. Eu te peço em Nome de Jesus Cristo".



Texto para meu álbum "Intervenção divina em Barra do Garças"