Página 2 de 3 PrimeiroPrimeiro 123 ÚltimoÚltimo
Resultados 11 a 20 de 23

Tópico: Jason Walker e a Sétima Vingança

  1. #11
    Avatar de Senhor das Botas
    Registro
    14-02-2011
    Posts
    2.297
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas CríticoEscritorSagaz CitizenMain Citizen
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Olá Neil!

    Enfim, mais uma vez, um excelente final de história, e mais um turbulento começo!

    Enfim, referências ao ponto com Ed e Lorraine; só fui saber da história dos dois após assistir Invocação do Mal, alguns anos atrás, e confesso que um leve sorriso brotou em minha face ao ler estes nomes, inseridos neste contexto. Digo o mesmo de Dean e Gadreel.

    No mais, Randal se mostrou um ser muito passivo, mas ao mesmo tempo muito único conforme fora apresentado. Ainda acho que dois demonologistas pagarão caro por subestimer um, aparentemente comum, demônio 'neutro'.

    Publicidade:


    Não espere algo bem elaborado e feito. De resto...

  2. #12
    Cavaleiro do Word Avatar de CarlosLendario
    Registro
    23-03-2012
    Localização
    São Paulo
    Posts
    2.046
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas Sagaz CitizenAdepto do OffCríticoDebatedor
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Outro excelente capítulo, Neal.

    Parece que temos um casal problemático aí. Eles podem ser uma ameaça pro Randal, mas a julgar pelo foco que ele recebeu nesse capítulo, é possível que ele acabe nos surpreendendo (Ou acabe morrendo mesmo, tipo em Juuni Taisen, um anime da temporada). Eu acredito que ele ainda fará muita coisa nessa parte da história, com certeza.


    Aguardo o próximo, mas ainda continuarei sumido por mais tempo, infelizmente.



    ◉ ~~ ◉ ~ Extensão ~ ◉ ~ Life Thread ~ ◉ ~ Seção Roleplaying ~ ◉ ~ O Mundo Perdido ~ ◉ ~ Bloodtrip ~ ◉ ~~ ◉

  3. #13
    Avatar de Neal Caffrey
    Registro
    03-07-2016
    Idade
    25
    Posts
    253
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas DebatedorCitizenEstagiário
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Spoiler: Respostas


    CAPÍTULO 4 – A PRIMEIRA CONTENÇÃO


    As Planícies do Caos já estavam parcialmente destruídas na altura em que Miguel parou, respirando profundamente. Ele e Lúcifer se encaravam, olho no olho, sem piscar, o arcanjo segurando uma lança prateada nas mãos, o demônio, uma imensa espada de ferro estígio. Quando finalmente Lúcifer falou, a tensão presente no ar, entre os dois, era quase palatável: era sensível.

    — Estou na iminência de tomar sua amada cidade.

    Miguel sorriu de canto, girando a lança nas mãos.

    — Não vai acontecer, irmão.

    O arcanjo olhou nos arredores. Vários buracos estavam expostos pelo chão, todos abertos pelo combate franco que havia acabado de se desenrolar entre os dois. Nenhum deles, é claro, foi capaz de ferir o outro; Lúcifer por estar ainda tolhido da integralidade de seus poderes, e Miguel, por não estar destinado a trancafiá-lo desta vez, a contrassenso do que havia acontecido muitos milênios antes.

    — Uma única exigência, e prometo matá-los depressa — disse Lúcifer, estreitando os olhos. — Entregue-me a Espada de Crunor, e todos morrerão. Não me entregue a Espada, e todos morrerão de forma brutal.
    — A Espada de Crunor só serve a um senhor, e é Jason Walker. Pode tomar posse de quantas relíquias quiser, mas não dessa.
    — É algo pelo que está disposto a morrer?

    Miguel tombou a cabeça de lado levemente.

    — É algo pelo que estou disposto a lutar.

    Por um longo tempo, nenhum dos dois disse qualquer coisa. Miguel repassou rapidamente, mentalmente, o plano desenvolvido por Jason Walker e como o espadachim intentava atacar Lúcifer por trás de suas linhas. Era simplesmente brilhante. Ele não saberia o que o atingiu e, quando soubesse, talvez a batalha já estivesse decidida.

    De repente, Lúcifer ergueu a mão direita espalmada e a baixou depressa. Miguel franziu o cenho.

    — O que é isso?

    O outro sorriu, embainhando a espada e dando-lhe as costas.

    — Proteja seu povo. Se puder.

    *

    — Por todos os lados, milady — informava Bambi Bonecrusher, falando muito depressa e atropelando as palavras. — Das Planícies do Caos, das Planícies Fantasma, saem do chão, não temos como vencê-los!

    Svan e Heloise trocaram um olhar.

    — Quanto tempo temos?
    — Quinze minutos, vinte no máximo.

    Heloise assentiu, decidida.

    — Vinte, então — ela se virou para seu capitão. — Avise John e Randal e posicione Ed e Lorraine Warren nas proximidades do portão oeste. Quero a cavalaria no portão leste e os arqueiros, que terão melhor visão, no portão norte. Determino que as amazonas se espalhem pelas muralhas. Precisamos conter o avanço.

    Bambi não esperou e disparou quartel afora, esbaforida. Svan estreitou os olhos, pensativo.

    — O que nos ataca, milady?
    — Lúcifer replicou o feitiço criado por Zathroth para impedir o avanço de Jason aos Poços do Inferno. Os mortos se levantam das tumbas. Assuma sua posição, Svan. Defenda nossa cidade.

    O capitão assentiu uma vez, fazendo menção de se retirar.

    — Corte o pescoço, ou perfure a cabeça — instruiu a rainha. — Não existe outra forma de detê-los.

    Ao que Svan deixou o quartel, Heloise começou a juntar seus apetrechos: poções, sua varinha, algumas pedras com desenhos gravados, e deu uma rápida olhadela no próprio livro de feitiços. Engajar-se-ia pessoalmente naquela batalha.

    Ao sair do castelo, a rainha não pode deixar de pensar em quão abençoada era. Svan e Bambi eram excelentes capitães, e as forças já eram distribuídas tal qual havia sido ordenado poucos minutos antes. O arqueiro Leonard Saint acabava de chegar, seguido de Ed e Lorraine em seus calcanhares.

    — Consegue ouvi-los? — perguntou, preocupado. — Marcham ao som da morte.

    Heloise apurou os ouvidos. O som de passos esmagando o caminho era ressoante e cada vez mais forte. Seja lá o que o Anjo Caído tinha feito, era feitiço poderoso. Arthur surgiu na sequência, juntando-se a ela.

    Em meio à balbúrdia que se instaurara na cidade, a rainha rapidamente conseguiu encontrar um certo padrão. Os mais jovens dos combatentes tinham assumido postos de cavaleiros, talvez pela facilidade de se seguir aquela profissão. Os mais experientes vinham se versando em magia, e os demais, assumiam arcos, bestas e lanças.

    De um certo modo, por mais aleatório que tudo parecesse ser, Heloise sabia que nada acontecia ao acaso. Cada um daqueles homens e cada uma daquelas mulheres tinha dentro de si uma força vital, que era capaz de garantir a defesa da cidade. Poderiam perder a guerra, mas não seria por causa daquela batalha, disso a rainha estava absolutamente certa.

    Ao chegar no portão oeste, magicamente selado, Heloise foi saudada com retumbantes brados pelos feiticeiros e druidas. Ela assumiu o comando de frente do pelotão, e a visão não poderia ser mais estarrecedora.

    A menos de 50 metros, uma multidão marchava contra Carlin. Mesmo naquela distância, era possível identificar a pele pútrida, os olhos sem vida, o modo mecanizado de caminhar. Mortos vivos. Aqui e ali, Heloise ainda via uma ou outra aranha gigante, nenhuma das quais parecia ligar muito para o fato de que pisoteava zumbis no meio do caminho para alcançar a cidade.

    John chegou alguns segundos depois, os olhos esbugalhados. Heloise praguejou por um instante.

    Onde está Randal?

    *

    Leonard tomou a torrinha mais alta no portão norte, os olhos incrédulos assistindo ao espetáculo de horrores que se desenrolava adiante. Até onde a vista era capaz de alcançar, as campinas estavam totalmente forradas por gente morta, caminhando com um objetivo claro e expresso.

    Nas muralhas, logo abaixo, as amazonas, comandadas por Melany, espaçavam-se devagar, todas tentando obter um bom ângulo de tiro. Os novatos, de lanças nas mãos, ocupavam às cotoveladas o portão que magicamente fora selado.

    Um deles gritou:

    — Comandante?

    Leonard levantou a mão esquerda, sinalizando para que esperassem. Ele semicerrou os olhos e os fixou na linha mais adiantada de oponentes, que já ia vencendo os 30 metros de distância.

    — Leonard — o arqueiro ouviu a voz de Melany chamá-lo.

    Uma vez mais, ele levantou a mão. Adiante, a horda de inimigos chegava cada vez mais perto.

    — LEONARD — Melany gritou novamente, em pânico.

    Não muito longe dali, Leonard escutou a áspera e grossa voz de John ordenando que os feiticeiros e druidas promovessem o primeiro dos ataques. Ele respirou fundo, olhando para Melany.

    — Fogo — disse ele, em voz baixa.

    Quase que em perfeita sincronia, flechas e dardos deixaram seus arcos e bestas instantaneamente, viajando pelo ar, o som produzido pelo atrito chiando nos ouvidos de todos. Como haviam sido previamente treinados, os lanceiros mantiveram-se em alerta, pois exerceriam a função de cavaleiros, contendo os diques de avanço, caso a primeira muralha perecesse.

    Os projéteis descreveram uma curva parabólica graciosa, em meia altura, levando apenas um segundo para alcançar os inimigos.

    De repente, os corpos mais adiantados nas linhas ofensivas começaram a tombar, um após o outro. Tão logo os primeiros oponentes caíram, os arqueiros de Carlin providenciaram o segundo ataque, disparando suas flechas e seus dardos no ar. A segunda linha, que, aos poucos, ia se encavalando com a primeira, também começou a cair.

    É só o começo do trabalho, pensou Leonard, sacando a própria flecha.

    As amazonas também atiraram, e suas flechas, encantadas, não tardaram para explodir no terreno adiante, lançando pedaços de gente morta para todos os lados. Na altura em que o segundo ataque foi programado, uma barreira de corpos ia se interpondo entre a muralha norte de Carlin e as tropas inimigas, criando outros embaraços para que avançassem.

    Leonard relanceou um olhar no sentido leste. Ali, embora os cavaleiros resistissem bravamente e com relativo sucesso, boa parte deles não poderia conter um segundo avanço. Ele olhou para baixo, onde os inexperientes lanceiros aguardavam, os olhos vidrados na campina.

    — Metade de vocês, ao portão leste — ordenou. — Contenham o avanço dos zumbis do lado de lá. Você — ele apontou para um deles, particularmente nervoso —, corra até o portão oeste e peça para que Heloise disponibilize alguns dos seus também. Se não dividirmos forças, não conseguiremos proteger todos os ângulos da cidade.

    O menino, que não devia ter mais do que 14 anos, assentiu enfaticamente, disparando no sentido sul e derrubando a pesada lança várias vezes. Ao devolver sua atenção à campina, Leonard percebeu que a situação, por ali, estava favoravelmente controlada.

    Ele encaixou sua flecha no arco e disparou, sacando a segunda e preparando o próximo tiro.

    *

    Svan estocou com força, atingindo o zumbi exatamente à sua frente e fazendo-o rolar. Dois dos cavaleiros mais adiantados que realizavam a contenção no portão leste já estavam feridos e potencialmente infectados. Eles foram levados às pressas para a ala hospitalar, onde receberiam os primeiros cuidados emergenciais.

    Alguns segundos depois, Svan sentiu que os cavaleiros pressionavam as linhas mais atrasadas, empurrando-os no sentido dos zumbis. Estava prestes a infartar quando sinais de magia surgiram voando por sobre sua cabeça, assim como uma sucessão de lanças, tudo atingindo os alvos com muita precisão.

    O capitão relanceou um olhar para trás. Nas muralhas, feiticeiros e druidas iam abrindo espaço entre si. Da saída norte, ele identificou o lisonjeiro sinal de Leonard. Menino sábio.

    O segundo conjunto de lanças disparado empurrou a ofensiva para trás, criando uma ligeira folga entre os cavaleiros mais adiantados e a linha dos inimigos. Com mais espaço para trabalhar, Svan e os outros começaram a arrancar cabeças numa velocidade impressionante.

    Pela primeira vez, perpassou pela cabeça do capitão sobre quanta falta Jason Walker podia fazer. No entanto, suas preocupações se dissiparam mais depressa do que nunca quando o arcanjo Rafael se juntou à resistência, assumindo uma posição ao seu lado direito.

    — Miguel está ao norte e Gabriel, ao oeste — informou, como se lesse seus pensamentos, estocando com força a cabeça de um zumbi próximo. — Precisamos ter força.

    Svan não precisou de outro aviso. Ele pisou calculadamente para a frente e, logo, os cavaleiros é que passaram a empurrar os zumbis que, embora avançassem de peito aberto, tinham agora poucas lacunas nas quais se fiar.

    Estamos chegando perto.
    Kniss & Lorenski - Sociedade de Advogados em Curitiba/PR

    Jason Walker e a Sétima Vingança
    Acompanhe a penúltima história de Jason Walker na seção Roleplay!

  4. #14
    Avatar de Ameyuri Ringo
    Registro
    19-01-2012
    Localização
    Barreiras / Bahia / Brasil
    Idade
    21
    Posts
    68
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas Citizen
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    So faltou Leonard desperta o "instinto superior" rs... Aplausos neal grande história !
    Ameyuri Ringo The Ghost Of Sparta!!!

  5. #15
    desespero full Avatar de Iridium
    Registro
    27-08-2011
    Localização
    Brasília
    Idade
    22
    Posts
    2.835
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas Sagaz CitizenCríticoDebatedorAdepto do Off
    Prêmios Guardião do GF - pelos serviços prestados à comunidade
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Saudações!

    Neal, perdoe meu sumiço! As coisas ficaram um caos aqui na RL e ficou complicado de conciliar o fórum com tudo o que tinha a fazer. Primeiramente, só tenho elogios: ação com boa descrição, sem pressa, sem correria. Tudo na medida certa! E essa reviravolta do Leonard, minha gente? Faço das palavras do @Ameyuri Ringo as minhas!

    Sua história é incrível, Neal! De verdade, continue! Pretendo voltar com Behogár Bradana assim que possível. Quando as férias da minha faculdade começarem (que já não está longe de acontecer, por sinal), acho que veremos, sim, mais movimento por essas bandas!



    Abraço,
    Iridium.






  6. #16
    Cavaleiro do Word Avatar de CarlosLendario
    Registro
    23-03-2012
    Localização
    São Paulo
    Posts
    2.046
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas Sagaz CitizenAdepto do OffCríticoDebatedor
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Grande Neal, perdão pelo sumiço.

    Gostei bastante desse último capítulo. Me pergunto de onde Lúcifer tirou tantos mortos-vivos pra atacar Carlin. Espero que consigam matar esse tanto de bicho pra livrar a cidade daquele destino triste do começo da terceira parte, pois gosto muito dela. E Randal e Jason fazem muita falta, considerando a situação de todos.


    Espero que continue com Jason Walker, amigo. Infelizmente meu PC tá meio sem jeito e provavelmente não voltarei mesmo por uns bons tempos. Já estou há dois meses fora e ficarei mais. Mas apesar da minha ausência, ainda posso aparecer aqui de vez em quando.



    ◉ ~~ ◉ ~ Extensão ~ ◉ ~ Life Thread ~ ◉ ~ Seção Roleplaying ~ ◉ ~ O Mundo Perdido ~ ◉ ~ Bloodtrip ~ ◉ ~~ ◉

  7. #17
    Avatar de Neal Caffrey
    Registro
    03-07-2016
    Idade
    25
    Posts
    253
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas DebatedorCitizenEstagiário
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Spoiler: Respostas


    CAPÍTULO 5 – LACUNAS


    Cain era um homem astuto. E, como tal, sabia como se portar, o que deveria fazer e quais decisões deveria tomar, tudo na hora certa. Já matara por muito menos. Agora, estava disposto a levar a guerra às últimas consequências em nome de seu senhor.

    Ele observava as ondas que vinham e iam sob o barco em Venore, perdido em pensamentos. Lembrou-se das inúmeras outras ocasiões em que matara Abel. Esta seria somente mais uma delas. Mas, então, por que sentia certo receio? Qual era a razão que o levava a sentir involuntários e incontroláveis arrepios, sempre que se lembrava do irmão, e sempre que se perguntava sobre de que forma ele surgiria desta vez?

    Ao seu lado, Lúcifer apareceu, também na mesma posição ereta e firme, as mão cruzadas adiante do corpo. Por alguns segundos, nenhum dos dois disse qualquer coisa.

    — O ataque a Carlin falhou — informou Cain, franzindo os lábios. — Houve tempo de barricada o suficiente para que os xamãs proferissem um poderoso encantamento.
    — Xamãs? — Lúcifer torceu a cabeça. — Não os Warren, suponho.
    — Em carne e osso.

    O Anjo Caído fechou os olhos por um momento, lembrando-se de quantas gerações da família Warren haviam combatido com altivez todos os justos combates, muitas vezes os desequilibrando e figurando como os reais fiéis da balança. Se suas fontes não falhavam em lhe transmitir informações, Edward e Lorraine eram os Warren da vez, um casal de idosos com poder mágico absoluto.

    Lúcifer deu de ombros.

    — O objetivo não era vencer a batalha, de qualquer forma.

    Cain se virou para ele, inquisitivo.

    — Agora, sabemos como as forças de Carlin se estruturam, quais são seus níveis de defesa e o número de lutadores que assumem sua posição — explicou. — Com o tempo certo, atacaremos exatamente com o efetivo necessário e teremos o suficiente para tomar a cidade de assalto num único round.

    O outro fez que sim, finalmente compreendendo.

    — As forças que ocupam a planície próxima de Ab’Dendriel, ao norte… mantenha-as onde estão. Com nossas forças trabalhando de maneira substancial nas fronteiras norte e oeste, é possível que possamos fixar nosso quartel general aqui mesmo, em Venore, enquanto não temos nossa cidade modelo.
    — Parece-me justo, senhor.

    Lúcifer deu as costas, pronto para sair do cais, mas parou no meio do caminho, virando o pescoço.

    — Identifique o Arqueiro de Crunor e entregue-o para mim — ordenou. — Vou me certificar pessoalmente de que Abel não reencarnará novamente.

    Cain assentiu uma vez, o rosto de feições rudes firme e resoluto.

    No entanto, nunca tivera tantas dúvidas na vida.

    *

    Exausta, Heloise jogou-se numa cadeira de espera na enfermaria dos druidas em Carlin, uma longa lista nas mãos. O ambiente já se encontrava relativamente calmo naquela altura, mas os danos à cidade foram quase incalculáveis. Um grande efetivo de cavaleiros simplesmente havia perecido, e alguns dos arqueiros destacados por Leonard para recompor a lacuna leste da resistência haviam ido com eles.

    Agora, além de Jason Walker, a enfermaria, que fora magicamente ampliada, abrigava mais de uma centena de feridos. A rainha tinha em suas mãos a exata lista deles, entre os quais, com certo sobressalto, identificou o nome de Randal.

    Rapidamente, ela desceu as escadas, tentando ignorar a sujeira que lhe embaçava a visão. Ali, fez um questionamento rápido aos paramédicos e logo encontrou o biombo onde estava o corpo de Randal. Estava prestes a afastar as cortinas e entrar, quando escutou duas vozes, uma masculina e uma feminina, conversando quase que aos cochichos lá dentro.

    — … mas estou quase certo de que não funcionou — disse o homem.

    Heloise identificou a voz de Ed Warren.

    — Como isso pode acontecer? — lamentou-se a mulher.

    Era Lorraine, a esposa de Ed.

    — Acho que os golpes mais profundos nas muralhas romperam a armadilha que fora pintada no teto da prisão. Ele estava desconfiado. Provavelmente, mudou-se de receptáculo. Pode estar dentro de qualquer um, agora.

    Lorraine estalou os lábios, como que intencionando expor seu mais profundo descontentamento. A rainha apurou os ouvidos, aproximando a cabeça do biombo fechado.

    — Precisamos…
    — Ouvindo através da porta?

    Heloise virou-se totalmente diante da inesperada voz que ouvira exatamente atrás de si, que ressoou em alto e bom som. Ali estava um homem de trinta e poucos anos, cabelos pelo ombro e barba cheia e bem aparada. Vestia-se com o decoro que a realeza exigia, o que não deixava dúvidas de que era rei em algum lugar.

    Contudo, a rainha nunca o havia visto antes. Embora ele tivesse um sorriso bondoso, os instintos da druida a orientaram a permanecer em estado de alerta. Nos arredores, ninguém parecia notar a presença dele, e Ed e Lorraine Warren continuaram a conversar cochichando, embora o tom de voz dele fosse suficiente para, ao menos, dar-lhes conta de que alguém estava escutando a conversa através das cortinas finas.

    — Quem é você?

    O homem sorriu novamente e estalou os dedos da mão esquerda. Como que num passe de mágica, o ambiente ao redor deles se dissolveu, e logo Heloise pode se situar, dentro de uma imensa antessala aberta no coração de uma casa colonial. Ali, um espesso tapete vermelho se estendia em todas as direções, até ser limitado pelas grossas paredes de tijolinho. Diversos vitrais filtravam a luz solar, que se infiltrada ilibada, aparentemente alheia aos grandes problemas do universo.

    A mobília era limitada a uma escrivaninha cheia de pergaminhos de aspecto oficial, atrás da qual o homem já estava sentado. Uma cadeira de chintz verde se materializou diante de Heloise, e ela se sentou, assombrada.

    — Crunor?
    — Em pessoa — ele estufou o peito, orgulhoso.

    Se aquilo fosse verdade, as implicações daquela situação teriam natureza bizarra. Heloise gostava de pensar em Crunor como um ente despersonalizado, embora soubesse que Leonard, John e Jason já o haviam encontrado em outras ocasiões. Todavia, encontrar com o Criador em pessoa não era exatamente um compromisso que a rainha vinha mantendo em sua agenda nos últimos tempos.

    A bem da verdade, achava que Jason e seus correligionários poderiam muito bem estar combatendo um inimigo invisível, auxiliando uma força igualmente invisível. Por alguma razão, não assistira qualquer intervenção direta de Crunor nos combates até aquele momento e, a despeito da participação sempre precisa de John e dos arcanjos, todos pareciam agir por conta própria.

    Agora, contudo, Crunor estava exatamente diante dela, parcialmente escondido atrás de uma pilha de pergaminhos velhos em que constavam inúmeras anotações feitas às pressas, sorrindo indulgente, e a havia tirado do ambulatório e trazido para seu palácio objetivando alguma coisa em específico. Fosse o que estivesse perpassando a cabeça de Deus naquele momento, a rainha se sentia verdadeiramente tentada a aquiescer com qualquer solicitação. De qualquer forma, precisavam de uma direção um pouco mais norteadora do que a que vinham desenvolvendo até agora.

    — Vejo que Edward e Lorraine Warren conseguiram conter o avanço dos mortos-vivos sobre sua cidade. Sabia que eles poderiam ser úteis.

    Heloise arqueou as sobrancelhas, surpresa.

    — Ah, por favor — ele fez um sinal com as mãos. — Edward e Lorraine Warren não podem ser encontrados, se não quiserem ser encontrados. Por mais competente que John Walker seja, assumo que posso ter facilitado o trabalho dele ao tentar localizá-los.
    — Agradeço muito por isso — limitou-se a dizer a rainha, em estado de choque.

    Crunor deu a ela um meio sorriso.

    — Sempre tive certa afeição pelos governantes de Carlin. Toda sua linhagem tem sido muito competente no que faz.

    Ela assentiu uma vez, sentindo um nó se formar em sua garganta.

    — Mas, aos negócios — ele remexeu na pilha de papéis e puxou um deles, mais específico. — Vou-lhe antecipar o próximo movimento de Lúcifer e, quem sabe, disponibilizar grandes combatentes para auxiliar.

    Heloise abriu e fechou a boca uma porção de vezes, sem saber o que dizer. Crunor aguardou, educadamente, até que a rainha pudesse começar a falar.

    — Desculpe, senhor… mas… com todo o respeito, senhor…

    Ele ergueu as sobrancelhas.

    — Estamos combatendo isolados por um bom tempo — começou ela, quase que em tom de desculpas. — Antecipamos boa parte dos movimentos de Lúcifer, e conseguimos defender nossa cidade na ofensiva mais agressiva, a mais recente. Bolamos um plano de batalha razoável e estamos às pressas para executá-lo. Nós não precisamos do próximo movimento de Lúcifer, precisamos de Jason Walker inteiro para combater.
    — É mesmo?

    Heloise sentiu parte de suas defesas se desfazer diante do minucioso olhar de Crunor, que franzia os lábios, reflexivo, o pergaminho pendendo molemente da mão direita.

    Ele cruzou os braços e respirou fundo, aquiescendo.

    — Entendo, entendo. Todavia, filha, posso-lhe fornecer somente uma das duas coisas. E adianto, desde já, que não posso curar Jason Walker.
    — O senhor é Deus ou o quê?

    Crunor quase riu, tão de surpresa lhe foi apresentado aquele argumento. De fato, havia tido contato com inúmeros dos seres de sua criação desde que a realizara, mas nenhum deles o havia abordado exatamente daquela forma.

    A pergunta era inteligente, mas, ao mesmo tempo, retórica. Ele decidiu respondê-la parcialmente.

    — Devo corrigir minha fala. Posso curá-lo, mas não farei. Jason Walker possui uma trajetória de superação e, principalmente, de enfrentamento de obstáculos. Ele deve enfrentar este e superá-lo, da mesma forma como fez em todas as outras ocasiões. Sinto muito decepcioná-la nesse sentido, mas, quanto a isso, não há nada que eu possa fazer. Ou melhor, não há nada que eu queira fazer.

    A pronta resposta do Criador pegou Heloise de guarda baixa, e ela levou um certo tempo para se recuperar. Finalmente, ela fez que sim com a cabeça, aceitando.

    — Lúcifer possui um modus operandi que se propaga ao longo dos séculos, sempre da mesma forma. Da primeira vez, tomou o primogênito de Adão. Da segunda vez, tentou tomar o segundo filho de um importante casal de caçadores. Desta vez, tentará tomar Jason Walker para si. Ele não quer somente a Espada de Crunor, quer, também, seu último detentor.

    “Da primeira vez em que vagou sobre a Terra, o Anjo Caído atacou com a ressurreição dos mortos e, logo em seguida, conseguiu firmar uma parceria com poderosos xamãs que viviam na Babilônia. Da segunda, também ressuscitou os mortos, mas com outro objetivo: o de criar na humanidade a sensação de que deveria professar sua fé nele. Finalmente, associou-se aos feiticeiros da Academia Mágica de Sodoma e Gomorra. Os resultados foram catastróficos.

    “Agora, vencido o primeiro obstáculo, Lúcifer voltará seus olhos para uma escola de magia que, atualmente, é muito mais numerosa e infinitamente mais poderosa do que as últimas duas que foram conquistadas. Para combatê-la, disponibilizarei dois dos meus melhores caçadores, os que atuam diretamente contra essa academia. Você vai encontrá-los em breve e saberá identificar os seus sinais.”

    Heloise assentiu, sabendo exatamente de que academia se tratava.

    — Defenda sua morada e honre meu nome, rainha — ele ergueu uma sobrancelha, sarcasticamente. — Confio no seu jugo.
    Kniss & Lorenski - Sociedade de Advogados em Curitiba/PR

    Jason Walker e a Sétima Vingança
    Acompanhe a penúltima história de Jason Walker na seção Roleplay!

  8. #18
    Cavaleiro do Word Avatar de CarlosLendario
    Registro
    23-03-2012
    Localização
    São Paulo
    Posts
    2.046
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas Sagaz CitizenAdepto do OffCríticoDebatedor
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Boa, Neal. Continue publicando.

    Excelente capítulo, mais uma vez. Lúcifer e Crunor estão fazendo suas jogadas, um de cada vez, e Tibia é o tabuleiro. Agora a rainha tá se movendo pra começar a fazer algum estrago, visto que ele está confiando esses caçadores a ela. (Plot twist: São os irmãos Winchester)

    E eu achei legal essa importância que você deu pra Academia Noodles de Magia, acho que em muitas histórias do tipo ela sempre tem uma grande importância. Creio que as próximas partes serão mais interessantes ainda, envolvendo os magos mais poderosos de Tibia. Randal talvez surpreenda também, já que ele se mostrou esperto mudando de receptáculo pra fugir. Dá pra ver que o casal Warren vai causar vários problemas no futuro. Curioso pra ver o que está por vir.


    No aguardo do próximo.



    ◉ ~~ ◉ ~ Extensão ~ ◉ ~ Life Thread ~ ◉ ~ Seção Roleplaying ~ ◉ ~ O Mundo Perdido ~ ◉ ~ Bloodtrip ~ ◉ ~~ ◉

  9. #19
    desespero full Avatar de Iridium
    Registro
    27-08-2011
    Localização
    Brasília
    Idade
    22
    Posts
    2.835
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas Sagaz CitizenCríticoDebatedorAdepto do Off
    Prêmios Guardião do GF - pelos serviços prestados à comunidade
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Saudações!

    O ritual dos likes já foi, agora é hora do comentário: Neal, continue a publicar. Sei que o movimento tende a desanimar, e muito, mas não deixe de nos presentear com capítulos novos dessa obra riquíssima. Você teceu um universo incrível com cada arco de Jason Walker, e esse capítulo foi fantástico. Eu gosto mais de capítulos que mostram a estratégia, o jogo por baixo dos panos e bastidores, do que necessariamente a violência e os conflitos armados que os sucedem.

    Eloise, como sempre, um destaque nas suas narrativas. Agora, diria que a coitada virou Atlas feminino, com o Tibia nas costas além de seu reino, sem poder cometer deslizes. Vamos ver no que vai dar, pois estou animada e quero mais capítulos para ler e me surpreender.



    Abraço,
    Iridium.

  10. #20
    Avatar de Ameyuri Ringo
    Registro
    19-01-2012
    Localização
    Barreiras / Bahia / Brasil
    Idade
    21
    Posts
    68
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas Citizen
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Mais um grande capítulo neal vamos ver com o suporte de crunor agora rs!

    Publicidade:
    Ameyuri Ringo The Ghost Of Sparta!!!



Tópicos Similares

  1. Jason Walker e a Relíquia do Tempo
    Por Neal Caffrey no fórum Roleplaying
    Respostas: 58
    Último Post: 09-10-2017, 01:17
  2. Jason Walker e os Poços do Inferno
    Por Neal Caffrey no fórum Roleplaying
    Respostas: 53
    Último Post: 28-08-2017, 16:20
  3. Jason Walker e a Arca do Destino
    Por Neal Caffrey no fórum Roleplaying
    Respostas: 57
    Último Post: 24-08-2017, 11:32
  4. MORTE CRUEL!!! E VINGANÇA MAIS CRUEL AINDA!!!
    Por Bob Forever no fórum Tibia Videos
    Respostas: 68
    Último Post: 01-11-2004, 07:56
  5. Os Malvados 2 a vingança
    Por Golden_Fox***** no fórum Fora do Tibia - Off Topic
    Respostas: 10
    Último Post: 15-10-2004, 12:45

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •