Página 4 de 4 PrimeiroPrimeiro ... 234
Resultados 31 a 35 de 35

Tópico: Jason Walker e a Sétima Vingança

  1. #31
    Cavaleiro do Word Avatar de CarlosLendario
    Registro
    23-03-2012
    Localização
    São Paulo
    Posts
    2.081
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas Sagaz CitizenAdepto do OffCríticoDebatedor
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    É guerra, e das pesadas.

    Excelente capítulo como de costume, Neal. Estou curioso para saber como você escreverá essa batalha. Sou particularmente fã de batalhas e sempre estive buscando formas novas de escrever alguma, já que não sou lá tão experiente.

    Jason tá atrasado demais, mas é capaz que ele ressurja muito puto no modo turbo no meio dessa guerra e mande metade da galera do Lúcifer pro caralho. Ao menos, é o que eu espero ver nesses próximos capítulos. E claro, espero pelo combate mortal entre Leonard e Cain, e inclusive penso como será essas punições. Preocupo-me com os Warren caçando Randal, mas se eles estão aí na batalha, possivelmente não fizeram nada. Ou mandaram outros fazerem no lugar deles. Tem sempre dessas.


    No aguardo do próximo, cara. Pois ele promete.

    Publicidade:



    ◉ ~~ ◉ ~ Extensão ~ ◉ ~ Life Thread ~ ◉ ~ Seção Roleplaying ~ ◉ ~ O Mundo Perdido ~ ◉ ~ Bloodtrip ~ ◉ ~~ ◉

  2. #32
    Avatar de Ameyuri Ringo
    Registro
    19-01-2012
    Localização
    Barreiras / Bahia / Brasil
    Idade
    21
    Posts
    75
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas EstagiárioCitizen
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Good times are coming rs ta na hora de conta o combo! Belo capitulo neal salve para galera da guild old vipers da extinta elera !
    Ameyuri Ringo The Ghost Of Sparta!!!

  3. #33
    Avatar de Neal Caffrey
    Registro
    03-07-2016
    Idade
    26
    Posts
    258
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas DebatedorCitizenEstagiário
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Spoiler: Respostas


    CAPÍTULO 8 – COMBATE MORTAL


    John e Arthur, de bandeira hasteada, mantiveram sua posição habitual, analisando a horda de demônios com cuidado. O plano de Jason Walker era perfeito em seus detalhes: o cavaleiro havia precisado, com margem de erro de menos de 15 centímetros, qual era a distância entre uma fileira e a outra. Era simplesmente brilhante.

    Leonard e Gretel subiram também sua bandeira, a dos arqueiros. Adiante, Hansel e Heloise também levantaram seus sinais. Bastava que Svan desse o seu.

    Finalmente, o capitão levantou seu estandarte, prateado. Devagar, os cavaleiros, componentes da linha de frente de ataque, espaçaram-se de forma igual, sacando suas armas com estrondo. As linhas de Lúcifer também puxaram suas espadas, suas clavas e seus machados, o som estridente do ferro atritando com o ferro podendo ser ouvido por muito tempo.

    — Senhores — gritou Svan, avançado no campo de combate, o homem mais próximo das linhas do inimigo, a cerca de 200 metros de distância. — Temos diante de nós, hoje, as criaturas mais horrendas, pestilentas, traiçoeiras e traidoras de que o mundo já teve notícia. Existe somente uma regra: não há regras. Não queremos prisioneiros de guerra. Não queremos ninguém a quem interrogar. A ordem é simples: matem todos. Que não sobre uma única alma viva.

    Todos bradaram um grito de guerra e chocaram suas espadas contra seus escudos, os homens mais avançados montados em cavalos.

    — Preparem-se — orientou Svan em voz baixa, os olhos fixos na primeira linha adversária.

    *

    — Que não sejam ouvidos brados de alegria — gritou Apocalypse, marchando de cavalo entre as linhas de frente. — Que não existam esperanças remanescentes. E que amaldiçoado por nós este dia seja, em que todos aqueles que ousaram nos combater serão sumariamente dizimados. Derramem sangue sobre a terra e honrem o nome do nosso Senhor.

    Muitos metros adiante, os homens de Heloise chocaram suas espadas contra seus escudos.

    — Avançar.

    Apocalypse manteve-se parada sobre seu cavalo quando as hordas de trás dispararam para a frente, correndo rumo ao combate franco. Ela arqueou as costas para observar as linhas de frente, mas nenhum deles estava preparado para o que veio adiante.

    Os homens de Carlin recuaram meio passo, em perfeita sincronia, enquanto Heloise e John saltavam de dentro do exército, posicionando-se no front do combate. Juntos, ergueram varinha e cajado e conjuraram um feitiço breve, explodindo o terreno entre os dois exércitos. Os cavalos dos demônios assustaram-se e passaram a saltar um sobre o outro, derrubando uma série de combatentes já no estande frontal.

    Adiante, labaredas imensas e blocos inteiros de gelo espiralavam juntos, como se não fossem antagônicos. Os blocos começaram a furar as defesas adiantadas e explodir no território do exército de Lúcifer, atirando demônios e cavalos para todos os lados.

    As chamas, por sua vez, infiltraram-se nas linhas mais avançadas e atearam fogo em todos os demônios mais adiantados, mas extinguiram-se em breve. Quando os blocos de gelo passaram das primeiras linhas, no entanto, foram consumidos no ar.

    Mais atrás, Spectulus, de cajado erguido, dissipava as energias adversárias com calma. Seus olhos, estrábicos, pareciam concentrados, e seus movimentos eram simples, mas eficazes. A distância, o som de um tiro foi ouvido; o bruxo desfez o projétil no ar, mas não houve tempo para que aparasse o segundo disparo, cuja bala se alojou com firmeza em seu estômago e o atirou metros para trás.

    Hansel já carregava seu trabuco novamente. Atrás das linhas dos demônios, Cain estava estarrecido e seu humor não melhorou quando dezenas de flechas e dardos descreveram graciosos movimentos parabólicos no ar e começaram a se alojar nos demônios à sua volta.

    — Recuar — tentou ordenar, mas a balbúrdia estava instaurada.

    Os demônios começaram a disparar no sentido do vale, passando por dentro da cratera aberta por Heloise e John entre os dois exércitos. Surpreendentemente, não chegavam ao outro lado. Cain aproximou-se depressa do buraco, desviando-se displicentemente dos projéteis dos adversários e, lá dentro, identificou uma sucessão de corpos tombados e várias criaturas elementais atacando indistintamente todos que invadiam seu restrito espaço. Inequivocamente, criaturas invocadas pelos feiticeiros e druidas.

    Céus, pensou, preocupado. Eles são bons.

    Spectulus retornou logo ao combate, sangue vertendo de seu estômago aos borbotões, mas o bruxo não fazia conta dos ferimentos. Ali, passou a disparar feitiços ferozmente, derrubando alguns dos cavaleiros mais adiantados das linhas de Heloise. Agora, o exército de Carlin também disparava feitiços por sobre a cratera, atingindo as hordas recuadas de Lúcifer.

    Cain sacou seu punhal manchado de sangue, sentindo gosto da eletricidade que pairava no ar. Tinham combatentes sobrando. Precisavam avançar, já que recuar estava fora de questão e, se daquele simples ato derivassem demônios mortos, tanto fazia. Era necessário contratacar.

    — Comande seus bruxos daqui — orientou Cain a Spectulus, que não parecia feliz por receber ordens. — Vou invadir pessoalmente as linhas deles.
    — Quero os caçadores — respondeu o bruxo, enlouquecido.
    — Tanto faz.

    Cain disparou por entre as horas dos demônios, iniciando sua corrida no sentido descendente do vale. Aqui e ali, disparava seus feitiços contra as criaturas dos magos adversários, reduzindo-as a pó. Sequer ficou surpreso quando viu homens inteiros feitos de fogo, água e terra desabando, porque sabia que aquelas criaturas tinham sido criadas por Crunor há muitos anos com o objetivo de dar números finais à segunda guerra contra Lúcifer.

    Agora, no entanto, sentia-se mais determinado do que nunca. Invadiria o terreno do adversário, destruiria Leonard Saint e levaria com ele tantos combatentes quantos fosse possível.

    Após derrubar boa parte das criaturas, o cavalo de Cain começou a iniciar a subida, incansável.

    É a hora.

    *

    Distante do combate, Rafael encarava a cena embasbacado. Não achava que fosse possível que mortais, ainda que combatendo organizadamente, fossem capazes de enfrentar um exército do tamanho daquele que Lúcifer montara. No entanto, Heloise, John, Leonard e os outros se provavam uma vez após a outra, mostrando que era possível combater o bom combate com dignidade e organização.

    Se Jason Walker estava certo ao elaborar aquele audacioso plano, estava quase na hora do recuo das linhas de Lúcifer. Esse era o momento em que o restante do exército de Carlin os pegaria pela retaguarda. Bastavam mais alguns minutos, se tudo corresse bem.

    Na montanha, um imenso dragão verde disparou chamas para cima, mais como objetivo de se mostrar do que para qualquer outra coisa. Rafael o ignorou. A dois passos dele, adiante, Gabriel e Miguel conversavam em voz baixa, e era necessário conter os combatentes que estavam escondidos entre as entradas das montanhas, até para não fornecer subsídio aos demônios retardatários, que chegavam tarde para o confronto.

    Alguns minutos depois, o exército de Lúcifer começou a recuar devagar, comandado por Apocalypse, mais feroz do que nunca. Não havia sinal de Cain. Os demônios de trás eram pisoteados pelos da frente que, sinceramente, nunca pareciam ter enfrentado coisa como os homens de Carlin.

    Somente mais alguns metros, pensou Rafael, sinalizando para Miguel, que se comunicou com Gabriel. Mais um pouco…

    Atrás dos arcanjos, os homens remanescentes, que se organizavam da mesma forma como a linha que decidira combater Lúcifer de frente, começaram a se instigar, preparando-se para o combate. Rafael não se preocupou em contê-los; sabia que a vitória dependia deles e que muitos daqueles soldados simplesmente queriam participar, de qualquer forma que fosse.

    Finalmente, a linha mais avançada de Lúcifer se tornou visível. Rafael levantou sua bandeira e fez um sinal breve.

    No instante seguinte, os cavaleiros, montados em cavalos de guerra profissionais, dispararam, passando pelos arcanjos como flechas. Não demorou para que alcançassem os demônios de trás, perfurando-os pelas costas, entre as junções das armaduras, na altura da jugular, no joelho, onde fosse possível.

    Agora, dividido, o exército de Lúcifer tentava compreender o que acontecia. As linhas de combate que estavam de frente para Heloise e os outros não sabiam o que estava acontecendo lá atrás; as que estavam de frente para Rafael e os arcanjos não sabiam o que acontecia lá na frente. O projeto de Jason Walker fora simplesmente genial.

    Apocalypse parou a meio trote, surpresa demais para se mover. Seus olhos vermelhos como o sangue cruzaram com os olhos azuis de Rafael, e ele sorriu-lhe de canto, sussurrando:

    — Prepare-se, filha da puta.

    *

    — Estão recuando — gritou Svan, abatendo um demônio. — Estão sendo surpreendidos!

    Leonard Saint cravou seu punhal na cabeça de um adversário próximo, levantando os olhos. Lá atrás, o avanço dos homens de Rafael era visível e, enquanto eles pressionavam as linhas de frente, os arcanjos pressionavam as de trás. Em breve, todo o exército inimigo ficaria prensado no fogo cruzado. Nada poderia salvá-los.

    Os arqueiros agora começavam a abraçar os adversários pelas extremidades, fixando lanças ao longo dos flancos. Conforme os arqueiros apertavam o espaço, demônios que batiam em retirada acabavam caindo também nessas armadilhas, os corpos inteiramente atravessados pelas longas estacas de madeira.

    Logo, um homem de cabelo prateado montado em um exuberante cavalo se destacou entre os homens de Carlin, abatendo alguns aos poucos, mas sem objetivo claro. Quando Leonard sacou depressa seu arco e atirou contra um demônio que ameaçava atacar Heloise, revelou-se Cain, fitando-o com ferocidade.

    — Abel — gritou ele, degolando sumariamente um cavaleiro. — Acerto de contas!

    Leonard puxou outra flecha, equipando-a no arco. Como que magicamente, os demais combatentes abriram uma espécie de clareira no campo de batalha, inconscientemente. Leonard e Cain estavam cara a cara, mais uma vez.

    — Está dois a um para mim — disse Leonard, zombando. — Preparado para iniciar a goleada?

    Cain girou o punhal na mão direita, concentrado. Leonard disparou uma flecha contra ele, sem efetividade. O demônio recurvou as costas.

    — Acerto de contas — repetiu.

    *

    Zathroth encarava Lancaster Wilshere na taverna em Ab’Dendriel, especulando. Ele havia atendido seu chamado prontamente, o que, por si só, já seria uma situação suficientemente estranha.

    — Quer de volta o Livro das Ciências Ocultas — concluiu Lancaster, tomando o uísque de um gole só. — É bastante ousado.

    O outro nada respondeu, as mãos pousadas sobre o cabo da espada.

    — Presumo que tenha algo substancial para dar em troca.
    — Jason Walker e a Espada de Crunor — Zathroth respirou fundo, deliberando.
    Kniss & Lorenski - Sociedade de Advogados em Curitiba/PR

    Jason Walker e a Sétima Vingança
    Acompanhe a penúltima história de Jason Walker na seção Roleplay!

  4. #34
    Cavaleiro do Word Avatar de CarlosLendario
    Registro
    23-03-2012
    Localização
    São Paulo
    Posts
    2.081
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas Sagaz CitizenAdepto do OffCríticoDebatedor
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Capítulo sensacional, Neal! Deu pra imaginar cada parte dessa guerra, fora esse plano extremamente bem executado. Estão cercando o exército de Lúcifer direitinho, botando pressão até no Cain. Mais engraçado ainda é o Spectulus mais louco que o Batman disparando um exevo gran mas vis atrás do outro mesmo com uma bala no bucho. Show de bola.

    Esse final só reforça o "ACORDA LOGO JASON PUTA QUE PARIU", agora que Zathroth, não surpreendentemente, mostra-se um traidor, tentando usá-lo como moeda de troca. E também há uma chance do plano dar errado de alguma forma, Lúcifer pode estar escondendo algo. Não acho que vai ser fácil assim.

    E se você disse que é mais preocupante o Randal caçando alguém do que alguém caçando o Randal, não duvidarei. Não vimos todo o potencial dele ainda. Ele pode surpreender bastante.

    Excelente, mais uma vez, Neal. No aguardo do próximo.


    tá devendo comentário, fedido



    ◉ ~~ ◉ ~ Extensão ~ ◉ ~ Life Thread ~ ◉ ~ Seção Roleplaying ~ ◉ ~ O Mundo Perdido ~ ◉ ~ Bloodtrip ~ ◉ ~~ ◉

  5. #35
    Avatar de Ameyuri Ringo
    Registro
    19-01-2012
    Localização
    Barreiras / Bahia / Brasil
    Idade
    21
    Posts
    75
    Conquistas / PrêmiosAtividadeCurtidas / Tagging InfoPersonagem - TibiaPersonagem - TibiaME
    Conquistas EstagiárioCitizen
    Peso da Avaliação
    0

    Padrão

    Que pelego heim cain se alterando, leonard aparenta esta ainda leigo a seu passado de derrotas contra o mesmo, lucifer inerte! E zatroth pau nu c... Que capitulo heim ta melhor que db super kk so falta "Lucio" chama o Jiren kkk parabéns pela ambientação neal show !





    Ameyuri Ringo The Ghost Of Sparta!!!



Tópicos Similares

  1. Jason Walker e a Relíquia do Tempo
    Por Neal Caffrey no fórum Roleplaying
    Respostas: 58
    Último Post: 09-10-2017, 01:17
  2. Jason Walker e os Poços do Inferno
    Por Neal Caffrey no fórum Roleplaying
    Respostas: 53
    Último Post: 28-08-2017, 16:20
  3. Jason Walker e a Arca do Destino
    Por Neal Caffrey no fórum Roleplaying
    Respostas: 57
    Último Post: 24-08-2017, 11:32
  4. MORTE CRUEL!!! E VINGANÇA MAIS CRUEL AINDA!!!
    Por Bob Forever no fórum Tibia Videos
    Respostas: 68
    Último Post: 01-11-2004, 07:56
  5. Os Malvados 2 a vingança
    Por Golden_Fox***** no fórum Fora do Tibia - Off Topic
    Respostas: 10
    Último Post: 15-10-2004, 12:45

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •